Natal e Cristo: Nada a Ver.

domingo, 8 de janeiro de 2012


25 de dezembro, dia muito especial. Nesse dia a mais de 2000 anos, nasceu de uma virgem um personagem que mudou a vida de muitos e também mudou um império. 

Hoje poucos realmente comemoram seu nascimento. Seu nome: MITRA.

Numa escavação em Israel, foram encontrados registros de nascimentos do templo entre os séculos I a.C e I d.C, onde estava registrado o nome de João, filho de Zacarias, sacerdote. Pelos cálculos do IAA, essa criança nasceu no mês de março, aproximadamente na segunda semana. Sendo sua mãe Isabel, prima de Maria, quando Jesus nasceu? Não foi em dezembro. Segundo os registros bíblicos, os pastores estavam com seus rebanhos nos pastos a noite, e hoje sabe-se que rebanhos só são encontrados fora dos estábulos entre início de setembro e a segunda semana de outubro.

Então Jesus teria nascido entre setembro e outubro, mas o Catolicismo Romano transformou a data do nascimento de Mitra na data de nascimento de Cristo, um verdadeiro absurdo e paganismo.

Vimos que 25 de Dezembro era data de comemoração da festa pagã de adoração ao deus Sol (Mitra), seu nascimento, e todos os símbolos natalinos quase sempre não encontram respaldo bíblico.

Os presépios colocam o menino Jesus numa manjedoura com os 3 reis magos lhe fazendo ofertas, mas os magos eram astrônomos e não reis, e a Bíblia nada fala sobre a quantidade de magos, e acredita-se que eram bem mais do que 3. Outro fator importante é que, pelos dados bíblicos, quando os magos do oriente chegaram, Jesus já não seria mais um bebê, como ilustra os presépios.

O Papai Noel (ou Papai Natal) foi inspirado em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira, na Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo inteiro. Tradicionalmente suas vestes eram azuis ou verdes, mas após um comercial da Coca-Cola, sua roupa passou a ser vermelha.

Após lermos essa rápida explicação, percebemos que Natal e Cristo é uma combinação que não tem nada a ver, fruto da mente pagã do Romanismo, modificados pelos interesses comerciais das grandes empresas, e Cristo entra apenas como um detalhe, ou um motivo para que os cristãos gastem fortunas comprando presentes e alimentos para a ceia, que nada tem de cristã ou bíblica.

Diego Rodrigo Souza
Creio No Amanhã

0 comentários :

Postar um comentário