O Cristão e o Voto.

terça-feira, 3 de abril de 2012


 Ano de eleições e começamos a ouvir sempre os mesmos discursos, que afirmam que nós, cristãos, não devemos votar nulo ou em branco, pois isso é errado perante Deus. Mas estas afirmações não se baseiam na Bíblia, que é a nossa regra de fé e conduta. A Palavra de Deus nos mostra que, mesmo sendo cidadãos do Reino, temos obrigações aqui neste mundo também, como cidadãos brasileiros, pois temos, por enquanto, dupla cidadania (do Reino, e do mundo, neste caso, brasileiros). Jesus deixou claro sobre nossa dupla cidadania quando afirmou: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. (Lc 20:25).

Analisando a questão da dupla cidadania, podemos concluir que temos deveres diante de Deus e da Nação, sendo um desses deveres à Nação, o voto. Logo, votar é uma obrigação do cristão, e deixar de votar é errado. Mas essa obrigação se refere ao ato de ir votar, e não em quem ou em quê você vai votar. Se devemos cumprir nossas obrigações e votar é uma delas, temos que ir a seção eleitoral, mas se a Justiça Eleitoral nos dá o direito de anular ou votar em branco, então podemos fazer isso sem preocupação.

Obedecemos a Lei de Deus e, depois, as leis dos homens. Neste caso, a Lei de Deus fala que devemos cumprir nossos deveres seculares, por isso votar é nosso dever, e a lei dos homens, mais especificamente a lei eleitoral, fala que devemos participar das eleições, e que temos o direito a três opções: votar em algum candidato, votar em branco ou anular o voto, e escolher qualquer uma destas opções é participar das eleições e cumprir nosso dever cívico. Então, VOTAR NULO OU BRANCO NÃO É OMISSÃO, É UM DIREITO ASSEGURADO POR LEI! Omissas são as pessoas que não participam das eleições e depois pagam multas com justificativas, quando não há justificativas. Muitos cristãos mentem e inventam justificativas para não ir votar, isso sim é errado diante de Deus e omissão diante dos homens. Se a lei dos homens nos garante o direito de votar nulo, e a Lei de Deus nada fala especificamente sobre isso, não serão os pastores e líderes que me farão mudar de ideia. Até porque a Lei de Deus e as leis humanas são mais importantes do que os líderes de igrejas e empresas.

Não estou incentivando ninguém a votar nulo ou branco, eu mesmo nunca votei nessas opções, só estou defendendo o direito ao voto que os líderes eclesiásticos tentam controlar. E deixo uma pergunta aos crentes defensores da ideia de que votar nulo é errado: Se num segundo turno, todos os dois candidatos forem homossexuais declarados e defensores do casamento gay, ou todos os dois forem defensores do aborto, ou outras práticas abomináveis à Deus, vocês votariam mesmo em um dos dois?

Diego Rodrigo Souza
Creio No Amanhã