Heresias Neopentecostais: Amantes da Visão

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Era uma tarde comum quando meu primo me envia uma imagem pelo whatsapp que trazia a seguinte mensagem: "Se você quer mudar o mundo, você precisa ter paixão pela visão da sua igreja".

Como alguém consegue elaborar uma frase tão absurda e ainda assim ganhar seguidores? Até Michael Jackson cantava algo bem mais cristão quando, na música Man In The Mirror, ele dizia: "Se você quer fazer do mundo um lugar melhor, olhe pra si mesmo e comece a mudança... comece pelo homem no espelho".

Esse mundão gospel-pagão conhecido como Neopentecostalismo, está criando pessoas com distúrbios espirituais e psíquicos que chamo de Amantes da Visão.

São pessoas apaixonadas por seus líderes, sua igreja, pela visão de sua igreja, por números e metas, alvos, células, poder, conquistas... etc, mas que desconhecem o verdadeiro Evangelho.

A tal heresia da visão eclesiástica teve início em César Castellanos, na Colômbia, mas, ao contrário do que pensava, seu País não foi conquistado pelo Evangelho através de um grande avivamento através das células, conforme tinha visto em sua "visão". Mas a sua igreja cresceu... Sua igreja e não a Igreja de Cristo.

Mesmo que a visão tenha falhado, essa heresia chegou ao Brasil, especialmente através de líderes hereges como Terra Nova, Milhomens e Rodovalho.

São propagadores de falácias como "superioridade eclesiástica", pois colocam na mente de seus seguidores que suas igrejas são superiores e que a tal visão é o avanço essencial do Evangelho.

Castellanos certa vez afirmou sobre sua visão: “... a igreja celular é o paradigma da congregação mais poderosa do mundo. Pode-se dizer que um pastor que não entra nesta dimensão está matando o progresso do evangelho em sua área.” (Castellanos, César. Sonha e Ganharás o Mundo. Palavra da Fé Produções, São Paulo, 1999).

Pra que Espírito Santo se o negócio agora é a Visão Esclesiástica (leia-se Células)?!

A tal visão nada mais é do que a igreja em células, conhecidas como G-12, M12, MDA...

Amar a visão de sua igreja é um conceito anti-bíblico, pois a Bíblia jamais, JAMAIS, fala de algo parecido com essas asneiras neopentecas.

Fatos a se considerar sobre ter Paixão pela Visão de sua Igreja:

1. A Bíblia não fala de igrejas como denominações. Denominações e templos cristãos são obras do período pós-Constantino, quando a Igreja Católica Romana introduziu o paganismo no cristianismo primitivo, e do surgimento dos movimentos protestantes e do evangelicalismo.

2. A Bíblia não fala de visão como sendo um método de organização (como o G12, M12 ou MDA) e nem como aspirações. Visões eram intervenções divina na vida dos profetas para que vissem e entendessem o futuro. Visão, como tratado atualmente, é algo presente em empresas, onde se tem uma Missão e uma Visão. Daí fica a pergunta: Somos empresas ou igrejas?

3. Não devemos ter paixões: A palavra paixão vem do latim e significa sofrimento. A Bíblia sempre fala de paixões num sentido pejorativo. Paixão está associada a concupiscência e luxúria.

4. Para mudar o mundo devemos mudar a nós mesmos através da santificação, obra exclusiva do Espírito Santo, e não da igreja.

5. Não devemos seguir cegamente o que nossos líderes pregam e tomar como verdadeiro tudo o que dizem. Lembram dos crentes de Beréia (Atos 17:11)? Eles examinavam se o que era falado, realmente estava na Palavra de Deus.

Para finalizar, enquanto você está apaixonado por sua igreja e pela visão de seus líderes que apenas propagam a visão dos líderes deles, pessoas estão lá fora carecendo do Evangelho puro e simples, esse que dificilmente é pregado em empresas que colocam na mente dos seus seguidores que o amor a visão da igreja pode mudar o mundo.

O que muda o mundo é o poder do Evangelho em nós, e não a paixão pela sua igreja...

Diego Rodrigo Souza
Creio No Amanhã

0 comentários :

Postar um comentário