Posso ouvir música secular?

terça-feira, 28 de junho de 2016


Hoje em dia vejo muitos pastores e líderes defendendo que o cristão não pode ouvir música secular, popularmente chamada de "música do mundo". Meu propósito aqui não é ofender a visão do seu pastor, ou ir contra os ensinamentos dos líderes, mas apenas levar esse assunto pro campo do debate, para entendermos se um cristão pode ou não ouvir música secular.

O Evangelho, na questão de costumes, não é restritivo e sim perceptivo e analítico, ou seja, ele não me proíbe de ter algum costume, mas apenas me instrui a analisar e perceber se aquilo causará algum dano a minha comunhão com Deus. Vemos isso claro nesse versículo: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. 
(I Coríntios 10:23).

Então, partindo desse versículo, respondemos algumas perguntas:
É lícito ao cristão ouvir música secular? Sim, pois "todas as coisas me são lícitas".
Convém ao cristão ouvir música secular? Depende, tem que haver um senso crítico.

Aliás, esse senso crítico tem que haver para todos os tipos de músicas, incluindo a gospel, pois os defensores de que os cristãos não devem ouvir música secular, se esquecem que os mesmos critérios se aplicam aos "louvores". Por exemplo:

- Não podemos ouvir músicas seculares, pois elas não glorificam a Deus?
Na verdade, esse critério teria que ser universal, e não só para as seculares, pois dentro das igrejas cantamos "hinos" que engrandecem o ser humano e não a Deus. Se essa afirmação fosse engessada assim, não ouviríamos nem música gospel. Música é música. Temos que saber separar música de louvor. Música boa não tem rótulos, pode ser secular ou gospel, e o motivo de ouvi-las é simplesmente apreciar um som agradável e meditar nas letras. Louvor é diferente, pois não devemos apenas escutá-los, mas sim fazer deles uma forma de adoração a Deus. Então não devemos misturar as coisas, e um não interfere no outro, desde que haja análise do que se está ouvindo.

- Cantores e compositores seculares não tem compromisso com Deus?
E se eu falasse que, no mundo das produções e composições musicais, não existe essa separação de gospel e secular? Nesse contexto, produtores, músicos e compositores seculares produzem músicas gospel e vice-versa. Sabe aquela história de hinos inspirados por Deus? Não existe mais. Muitos dos hinos "inspirados" foram escritos e produzidos por pessoas "do mundo", e o artista gospel apenas empresta a sua voz. Então, reafirmo, música é música. Apenas saiba discernir sobre o que vai fazer mal a você.

- Música gospel edifica o crente?
Sinto dizer isso, mas música não edifica ninguém. O que edifica o cristão é oração, jejum, meditação na Palavra do Senhor...  A Bíblia em nenhum lugar nos ensina que uma simples música tenha o poder de edificar. Música é apenas uma forma de entretenimento, ainda que seja gospel. Mas toda regra tem uma exceção: os hinos antigos até nos edificavam mesmo, e nos levava ao sentimento de adoração a Deus.

Sendo assim posso ouvir todas as músicas (seculares ou gospel) mas nem todas me convém (seculares ou gospel). Então, como saber se uma música me convém?

- Analise o sentimento que ela produz em você. 
Se você for uma pessoa depressiva, não convém ouvir músicas que estimulem a tristeza, e mesmo no meio gospel temos muitas músicas assim. Músicas que estimulam em nós sentimentos ruins, como vingança (lembra da Sabor de Mel da Damares?), raiva, tristeza, ódio, etc. não nos convém ouvir.

- Analise a reação que ela produz em seu corpo.
Algumas batidas e ritmos estimulam o corpo a ter reações que não convém ao cristão. O problema do funk não é apenas a letra, mas o próprio ritmo, que induz o corpo a uma dança inadequada.

- Analise a letra e a mensagem que ela passa.
Muitas músicas seculares exaltam o ocultimo, e até mesmo glorificam ao diabo, uma delas foi trilha sonora de uma novela global, que incitava a "simpatia pelo diabo", dos Rolling Stones. Mas muitas músicas apenas trazem mensagens de paz, amor, e situações da vida, sem nada ofender a nossa espiritualidade.

Concluímos, então, que não é rótulo de secular ou gospel que faz uma música ser conveniente ou não, e sim os critérios acima. Se uma música gospel, ou secular, passar nesses quesitos, então podemos ouvir sim, desde que não haja idolatria, pois "Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma" I Coríntios 6:12.

Diego Rodrigo Souza
Creio No Amanhã

0 comentários :

Postar um comentário