A Fé

terça-feira, 23 de maio de 2017


A respeito da fé:

"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem". Hebreus 11.1


Fé é acreditar em algo que ainda não se viu. Ter fé é ser otimista, ser positivo. É acreditar que aquilo que você tanto espera chegará independente de quanto tempo passe. Do que adianta acreditar em algo que se vê? Se assim fosse, já não se chamaria de fé e sim razão.

Hebreus 11.6: "É necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele exista e é galardoador dos que o buscam".

Ninguém se interessa por aquilo que não acredita. É ilógico. Logo, quem quer se aproximar de Deus precisa crer em Sua existência. E como crer em algo que não se vê? Tendo fé. A partir do momento em que um indivíduo passa a ter fé em Deus, ele começa a ter experiências com o mesmo.

A fé não é uma ideologia vazia e ignorante que faz com que milhares de pessoas se prendam a uma religião. E também não é o produto de uma situação histórica. Ter fé é ter um estilo de vida baseado em experiências diárias. Uma aproximação diária com alguém que não vemos em sua forma física, porém sentimos e experimentamos.

Há quem diga que a fé é apenas um conceito humano criado para amenizar dores e conflitos existenciais. Mas afirmar isso seria dizer que ela não passa de uma ideologia manipuladora e que todas as pessoas que a aderem estão sendo constantemente enganadas. Vivendo em um monte de mentiras. E como afirmar isso com tanta certeza sem fazer prova?

Meu conceito de fé se baseia naquilo que vivi e vivo. A fé, num pensamento geral, independente de religião, é algo essencial, individual e íntimo.

Tenha fé!

Marcela Cardoso
Creio No Amanhã

Tudo é Vaidade

domingo, 12 de fevereiro de 2017


O que é a vida? Saímos em busca de conhecimento, independência, liberdade e pra que tudo isso? Por que despertar tanta ansiedade? 

Ah! Se soubéssemos o quanto a nossa vida é frágil e o quão falho são os nossos valores...
Desde criança possuímos dentro de nós o desejo de mostrar que somos capazes, seja mostrando algo aos pais ou até mesmo aos colegas e professores. 

Ao crescer, essa necessidade aumenta, mostrando orgulhosamente a nota da escola, exibindo o fato de ser universitário e até mesmo ter uma profissão e os bens adquiridos depois de tanto esforço. E novamente eu pergunto: Por que? Ou para quê? 

Salomão, ao escrever o livro de Eclesiastes, inicia dizendo que “O prazer não faz ninguém feliz” e começa a descrever uma série de coisas corriqueiras, mas que insistimos em dizer que nos traz um amanhã feliz. 

Ele procurou a felicidade na bebida, na riqueza, no prazer e na fama, e ao final, descobriu que tudo não passava de vaidade. 

Eclesiastes 2: 11 diz: "Então olhei eu para todas as obras que as minhas mãos haviam feito, como também para o trabalho que eu aplicara em fazê-las; e eis que tudo era vaidade e desejo vão, e proveito nenhum havia debaixo do sol"

O corpo, após alguns minutos sem oxigênio vai a óbito. Sua mente e o conhecimento de tudo que viu/estudou até hoje, pode ser “deletado” com o simples alojamento de uma pequena bactéria. Eu poderia citar milhões de possibilidades de invalidez ou até mesmo morte que ao nossos olhos parecem ser impossíveis, com o único objetivo de entendermos o quão instantes nós somos... O quão frágil o organismo humano é. 

Tiago 4: 14: "No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece." 

Que sejamos mais gratos pelo que temos e somos. E que reconheçamos a total dependência Deus.

Marcela Cardoso
Creio No Amanhã