Tudo é Vaidade

domingo, 12 de fevereiro de 2017


O que é a vida? Saímos em busca de conhecimento, independência, liberdade e pra que tudo isso? Por que despertar tanta ansiedade? 

Ah! Se soubéssemos o quanto a nossa vida é frágil e o quão falho são os nossos valores...
Desde criança possuímos dentro de nós o desejo de mostrar que somos capazes, seja mostrando algo aos pais ou até mesmo aos colegas e professores. 

Ao crescer, essa necessidade aumenta, mostrando orgulhosamente a nota da escola, exibindo o fato de ser universitário e até mesmo ter uma profissão e os bens adquiridos depois de tanto esforço. E novamente eu pergunto: Por que? Ou para quê? 

Salomão, ao escrever o livro de Eclesiastes, inicia dizendo que “O prazer não faz ninguém feliz” e começa a descrever uma série de coisas corriqueiras, mas que insistimos em dizer que nos traz um amanhã feliz. 

Ele procurou a felicidade na bebida, na riqueza, no prazer e na fama, e ao final, descobriu que tudo não passava de vaidade. 

Eclesiastes 2: 11 diz: "Então olhei eu para todas as obras que as minhas mãos haviam feito, como também para o trabalho que eu aplicara em fazê-las; e eis que tudo era vaidade e desejo vão, e proveito nenhum havia debaixo do sol"

O corpo, após alguns minutos sem oxigênio vai a óbito. Sua mente e o conhecimento de tudo que viu/estudou até hoje, pode ser “deletado” com o simples alojamento de uma pequena bactéria. Eu poderia citar milhões de possibilidades de invalidez ou até mesmo morte que ao nossos olhos parecem ser impossíveis, com o único objetivo de entendermos o quão instantes nós somos... O quão frágil o organismo humano é. 

Tiago 4: 14: "No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece." 

Que sejamos mais gratos pelo que temos e somos. E que reconheçamos a total dependência Deus.

Marcela Cardoso
Creio No Amanhã

Jesus Cristo, o Verbo!

sábado, 24 de dezembro de 2016



“No princípio era o VERBO, e o VERBO estava com Deus, e o VERBO era Deus” (Jo 1:1).
O Apóstolo João, tanto em seu evangelho quanto em sua epístola, descreve Jesus como o Verbo.
Para entendermos o sentido teológico desses textos, precisamos voltar ao original grego. 
No texto grego, idioma em que foi escrito o Novo Testamento quase em sua totalidade, o termo "verbo" é "Lógos", que é entendido como "palavra, razão, conhecimento".

O Verbo é a Palavra em ação que nos faz ter conhecimento de Deus. Isso se vê claramente quando entendemos que Cristo foi quem cumpriu (ação) a Palavra de Deus (profecias), nos mostrando o Evangelho (conhecimento das boas novas). A Bíblia também é a palavra de Deus, mas Cristo é o Verbo. É Ele quem torna a Bíblia algo dinâmico e sempre atual, e não apenas um livro religioso qualquer. Não basta ler a Bíblia (palavra) se o Verbo (Palavra) não agir em nós através do Espírito Santo. A palavra escrita (Bíblia) está sujeita a Palavra (o Verbo, Cristo). 

Então, o sentido teológico de Cristo ser chamado de Verbo, é: Jesus é a Palavra de Deus, não escrita, como a Bíblia, mas a Palavra de Deus encarnada, ativa, que nos trouxe conhecimento de Deus ("E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” Jo 1:14). Tudo o que Ele fazia, era propagar as verdades do Reino, por isso Ele próprio era a Palavra, ou, como escreveu o apóstolo: O Verbo. Deus Pai falou através de Cristo. (Jo 12:44,45). 

Além da teologia, costumo explicar o Verbo de uma outra forma. 
Quando começamos a estudar as regras da língua portuguesa (e demais idiomas), nos deparamos com os verbos, que descrevem ações e são divididos em três tempos: Passado (pretérito), presente e futuro. Esses tempos, na língua portuguesa, tem subdivisões, mas todas ligadas a essas três. Não existe nenhuma ação que não seja no passado, no presente ou no futuro, pois toda ação ocorre em algum desses três tempos, e, como vimos, Jesus é a Palavra de Deus em ação. 

Analisando várias passagens entendemos a ligação de Cristo com o termo "Verbo", mas destacarei Hebreus 13:8 e Apocalipse 1:8.

Cristo é o Verbo (Hb 13:8/Ap 1:8): 

Passado (Pretérito): "o mesmo ontem..." / "que era"... 
Presente: "hoje..." / "que é"... 
Futuro: "e eternamente." / "e há de vir". 

O próprio Apóstolo João diz: "E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. E estava vestido de veste tingida em sangue; e o nome pelo qual se chama é A PALAVRA DE DEUS" (Ap 19:11-13)

Maranata!

Diego Rodrigo Souza 
Creio No Amanhã